Quer mudar de país? Minha experiência e 9 dicas para te ajudar nesse processo!

5/4/2017
Mudar de país

Em 2005 mudei para Portugal com meu marido e vivemos lá durante 7 anos até resolvermos voltar para o Brasil. Até hoje muitas pessoas nos perguntam a razão da nossa volta, e como ainda estamos por aqui apesar da violência, do trânsito e dos serviços precários no Rio de Janeiro.

Tudo começou com a decisão de mudar para Portugal. Nunca tínhamos visitado o país, estávamos com planos de fazer um MBA nos Estados Unidos (preparando e estudando há mais de 1 ano) e, de repente, em um determinado jantar, surgiu uma oportunidade de trabalho para o André em Portugal.

Acho que queríamos tanto ter uma experiência internacional, que nem pensamos 2 vezes. Largamos nossos empregos “estáveis”, com ótimos salários e perspectivas profissionais, entregamos o apartamento, vendemos os móveis e os 2 carros e embarcamos em uma experiência que mudou nossas vidas.

Aqui começou o meu desapego por lugares e coisas, e surgiu em mim, taurina, uma grande paixão por mudanças e experiências novas...

“É importante alinhar as expectativas da família.”

Depois da decisão tomada, começamos um planejamento. Avaliamos nossa reserva financeira, conversamos e chegamos a um acordo de casal que, caso algum de nós não se adaptasse, voltaríamos.

Não podemos reclamar porque, desde o primeiro dia, tivemos todo tipo de experiência que nunca imaginaríamos ter. Ao chegar, ficamos hospedados em uma quitinete de um amigo por algumas semanas até encontrarmos nosso primeiro apartamento, em um 4º andar sem elevador, sem aquecimento e dormindo em um colchonete por alguns meses (olha a foto dele). Tivemos que nos virar em vários aspectos pessoais e profissionais mas, de quebra, conhecemos muitos países e vivemos algumas aventuras!

“Querer viver novas experiências é fundamental”

Voltando aos 7 anos em Portugal, não foi fácil, nada simples, senti na pele o preconceito com a mulher brasileira (que felizmente hoje diminuiu) na hora de alugar apartamento e conseguir emprego. Trabalhei na minha área numa empresa e com pessoas que gostava muito e tivemos nossos 2 filhos portuguesinhos por lá. Aliás, essa parte é muito diferente do Brasil. O parto, o pós-parto, o clima frio que nos deixa mais presos e fechados com um bebê pequeno. Sem falar que é difícil ter ajuda de babás e domésticas.

“Estar aberto a viver na cultura do país é importante.”

Mas será que tem que ser fácil? Brinco sempre com o André que se fosse fácil não teria graça. E hoje temos tantas histórias para contar... Além disso, acredito que tudo o que passamos até hoje nos fez amadurecer muito e construir uma relação mais sólida.

Afinal, PORQUE voltamos?

Primeiro porque entendemos que poderíamos mudar, voltar ou mudar de novo quando quiséssemos, se isso fosse importante para nós, o que nos mostra que nada é definitivo. Por isso, o nosso retorno ao Brasil nunca foi pensando que ficaríamos aqui para sempre e que estávamos escolhendo onde iríamos passar o resto de nossas vidas. Isso tira um peso muito grande da decisão!

Outros dois fatores também foram fundamentais, a saúde dos nossos filhos, porque nosso menor estava em tratamento médico e teria uma evolução melhor com o clima e o suporte no Brasil, e o lado profissional, porque, quando resolvemos voltar, Portugal estava em crise e nós 2 estávamos iniciando nossa jornada empreendedora.

“Home is where your heart is”

Hoje ouvimos com muita frequência: vocês não querem voltar para a Europa? A única coisa que sei é que depois que abrimos a “porteira”, ela não se fecha mais ☺. Estamos abertos à mudanças, seja para Portugal ou para outros horizontes... Atualmente estamos no Rio de Janeiro, e uma coisa que aprendi nos últimos tempos é viver o momento presente, o aqui e agora, perfeito como é.

Se você pensa em mudar de país, compartilho algumas dicas que podem ser úteis na decisão e no processo.

9 DICAS PARA QUEM QUER MUDAR DE PAÍS:

1- tenha clareza das motivações: entender os reais motivos da mudança ajudará em todo o processo e trará muita força nos momentos mais desafiadores;

2- faça uma reserva financeira: o ideal seria ter uma reserva de pelo menos 1 ano de custos no novo local (ou no mínimo 6 meses) para te dar uma certa tranquilidade para se acomodar no novo local;

3- converse com pessoas que passaram pela mesma experiência: tirar dúvidas, pedir informações, ouvir as experiências de quem passou por uma mudança similar será importante;

4- saiba qual o custo de vida do local: independente de ser no Brasil ou no Exterior, existem cidades com custos de vida bem diferentes. Você pode morar em uma cidade no mesmo país com metade dos gastos mensais. Pesquise bastante antes de decidir. Pode baixar aqui uma planilha que fiz que ajudará na comparação do seu custo de vida atual com o esperado: Planilha comparativa para mudança

5- estude as alternativas de legalização: mesmo que decida mudar sem ter um visto, é muito importante entender as regras do país e estudar as maneiras para se legalizar. Existem algumas possibilidades: visto de estudante, abrir uma empresa, reagrupamento familiar, tirar nacionalidade, comprar um imóvel, etc;

6- pratique desde já o desapego material: pensar em mudar e levar uma bagagem gigante nas costas não faz sentido e, na verdade, se for para fora do país é bem complicado. Comece a se desapegar daquilo que não serve mais. Pense no que você levaria na sua mala e o restante venda ou doe!

7- esteja aberto a um downgrade profissional, se for o caso: se realmente quer mudar e ainda não tem um emprego certo, esteja aberto às diferentes possibilidades, mesmo que pareça uma queda no seu status profissional atual. Aproveite a oportunidade para se reinventar;

8- pense na possibilidade de trabalhar a distância: se puder, mantenha o seu trabalho ou comece algo novo que possa manter à distância. Faça as contas de acordo com o câmbio do país e o custo de vida. Além disso, busque informações sobre as maneiras de enviar o seu dinheiro em reais para o novo país;

9- avalie o clima: pode parecer bobagem mas muitas pessoas não conseguem se adaptar ao frio (ou ao calor) extremo de alguns locais. Se esse for o seu caso pense bem!

Eu adoraria ter tido esse conhecimento e informação antes de mudar, então espero que ajude na sua jornada.

Luciana Santos

Consultora Financeira e Coach de Prosperidade para pessoas que buscam viver em paz com sua vida financeira. 

Outros artigos relacionados

Quer falar comigo?